Jornal Sudoeste Paulista
Sudoeste Paulista

JS Paulista Detalhes1 Crime brutal de emboscada que chocou região teve autores condenados a mais de 50 anos de prisão




Crime emblemático
Crime brutal de emboscada que chocou região teve autores condenados a mais de 50 anos de prisão
Homicídio ficou famoso por criança que após ver o tio e o avô serem assassinados, andou 10 quilômetros por uma estrada rural até encontrar socorro
Colaborou: G1 Itapetininga e Região
10/05/2018 • 12:33:01
Atualizada:
10/05/2018 • 12:33:44 -













































A Justiça condenou na quinta-feira (3) dois homens acusados de matar o aposentado Jurandir Bento de Arruda, de 51 anos, e o filho dele, Jefferson Pereira de Arruda, de 25 anos, durante uma emboscada em outubro de 2015, em Capão Bonito.

De acordo com o juiz Felipe Abraham de Camargo Jubram, da 1ª Vara Criminal de Capão Bonito, um dos suspeitos foi condenado à pena de 62 anos, seis meses e 28 dias de reclusão, em regime inicial fechado e o outro a 52 anos, um mês e 23 de dias de reclusão, a ser cumprido no mesmo regime.

Os condenados, 50 e 21 anos, também vão responder pela tentativa de homicídio da mulher de Jurandir, que ficou ferida ao ser esfaqueada. A Justiça não divulgou o nome dos criminosos.

Ainda segundo a Justiça, os condenados afirmaram que no dia do crime uma das vítimas os ameaçou com arma e que agiram em legítima defesa.

Porém, os jurados decidiram que os crimes foram cometidos por motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa das vítimas.

Emboscada

O crime ocorreu em 12 de outubro quando a família voltava para Sorocaba após passar o feriado em uma chácara no Bairro Boituva, zona rural de Capão Bonito, quando foi abordada pelos suspeitos, sendo um, na época, menor de idade.

O aposentado e seu filho foram mortos após luta corporal com os suspeitos. A mulher conseguiu fugir com o neto, que tinha 7 anos.

Fuga e prisão

Os primeiros suspeitos foram localizados em uma casa abandonada em São Paulo quatro dias após o crime. Eles foram detidos inicialmente por invasão de domicílio, mas quando os policiais verificaram os nomes deles souberam da suspeita de homicídio.

Questionados, os suspeitos confessaram ser de Capão Bonito e que estavam fugindo da cidade devido ao crime. O adolescente ficou na Fundação Casa enquanto o rapaz ficou na cadeia da cidade.

Já o terceiro suspeito, de 47 anos, se entregou à Polícia Civil em 23 de outubro de 2015. Os maiores estavam presos e foram condenados nesta quinta-feira (3). Já menor ficou detido na Fundação Casa.

Mão decepada

De acordo com delegado Hélio Edson de Souza Junior, responsável pelo caso, o jovem Jefferson Pereira de Arruda teve a "mão decepada, o rosto dilacerado e pode ter cometido suicídio".

"Encontramos o corpo com um revólver na mão. Talvez pela dor que sentia, ele pode ter se matado. Mas essa é apenas uma das hipóteses que a perícia investiga. Não está descartada, mas também não está comprovada", contou na época o delegado, no entanto o resultado do laudo não foi divulgado ao G1.

Socorro

Após ver o tio e o avô serem assassinados, a criança, que na época tinha 7 anos, andou 10 quilômetros por uma estrada rural até encontrar socorro. Segundo a parente, que não quis se identificar, o garoto não se feriu, mas ficou em estado de choque.


Bairro Boituva fica a 30 quilômetros da área urbana da cidade - Foto Reprodução TV TEM
Bairro Boituva fica a 30 quilômetros da área urbana da cidade - Foto Reprodução TV TEM
Fotos: G1
Fotos: G1





Sudoeste Paulista
Nossa Missão é Integrar a Região • ©